INÊS DE CASTRO: DA CRÔNICA AO MITO E A POÉTICA DA AUSÊNCIA

Emily Smaha Silva

Resumo


O presente artigo atende a duas demandas bem demarcadas, sendo que a primeira delas é dar visibilidade ao estágio realizado na Universidade de Coimbra, sob a tutoria do professor Joaquim Braga, com foco na estética da arte e na filosofia. A segunda demanda consistiu em realizar um exercício interpretativo em torno do objeto discursivo de nossa dissertação - Inês de Castro – por meio da noção poética da ausência, que faz parte do arcabouço teórico de Fernando Catroga. A escritura realizada em parceria se deve à caminhada que empreendemos na pesquisa de quem vem de um curso de Arte, faz pós-graduação em Letras e se filia à Análise de Discurso, disciplina de entremeio. Em Inês de Castro, portanto, buscamos pensar como o ausente, constitui-se em presença por meio de manifestações estéticas.

Palavras-chave


discurso; memória; história; poética da ausência; arte.

Texto completo:

PDF