Gestão de resíduos sólidos urbanos em Guarapuava-Paraná

Marcos Henrique Pazini, Silvio Roberto Stefano, Arildo Ferreira, Lisandro Pezzi Schmidt

Resumo


Este trabalho teve como objetivo principal compreender o modelo de gestão de resíduos sólidos no município de Guarapuava-PR. Para isso foi realizado estudo na Secretaria de Meio Ambiente da prefeitura, sendo realizada uma pesquisa de campo com a equipe multidisciplinar que atua na gestão de resíduos sólidos urbanos com o uso de entrevistas individuais, diário de campo, análise documental, por meio das quais pôde-se verificar de que forma ocorre essa gestão, o modelo adotado atualmente e a efetividade desse modelo de gestão. Verificou-se que todos os entrevistados conhecem a temática, pois atuam com base na legislação e procuram desenvolver ações com cunho sustentável, promovendo o aculturamento da sociedade, quebrando paradigmas que envolvem a sustentabilidade e o desenvolvimento sustentável de toda cadeia produtiva onde a gestão de resíduos sólidos está inserida. Observam-se diversas ações sendo desenvolvidas, abrangendo todas as idades e camadas da sociedade local, bem como investimentos que promovam essa mudança de cultura, sendo essa a principal barreira para que a gestão de resíduos sólidos alcance melhores patamares ou índices de desenvolvimento.


Palavras-chave


sustentabilidade; desenvolvimento sustentável; gestão de resíduos sólidos urbanos

Texto completo:

PDF

Referências


ALMADA, L.; BORGES, R. Sustainable Competitive Advantage Needs Green Human Resource Practices: A Framework for Environmental Management. Rio de Janeiro, RAC, v.22, n. 3, art, 6, p. 424-442, 2018.

ALMEIDA, L. A.; GOMES, R. C. Atores, Recursos e Interesses na Formulação da Política Nacional de Resíduos Sólidos. Administração Pública e Gestão Social, v.10, n. 3, p. 161-169, 2018.

BLOWFIELD, M. Business and Sustainability. Oxford: UK, Learning, 2013.

BRASIL. Lei n. 12.305, de 2 de agosto de 2010: Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos altera a Lei n 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2010.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. O planejamento da pesquisa qualitativa: Teorias e abordagens. Porto Alegre: 2 ed, Artmed, 2006.

DONAIRE, D. Gestão ambiental na empresa. São Paulo: Atlas, 2 ed, 2013.

ELKINGTON, J. Canibais com garfo e faca. São Paulo: Makron Books, 2001.

ELKINGTON, J. Canibais com garfo e faca. São Paulo: Makron, 2011.

ELKINGTON, J. Canibais com garfo e faca. São Paulo: Makron, 2012.

FERREIRA, A. Gestão de resíduos sólidos urbanos em municípios do Paraná. Revista Capital Científico - Eletrônica, v. 16, n.2, p. 105-119,2018.

GLADWIN, T. N., KENNELLY, J. J.; KRAUSE, T. S. Shifting Paradigms for Sustainable Development. Academy of Management: v.20, n. 4, p. 874-907, 1995.

HART, S. L.; MILSTEIN, M. B. Criando Valor sustentável. RAE Executivo, v. 3, n. 2, p.65-79, 2004.

HOFFMAN, A. J. Climate Change Strategy: The Business Logic Behind Voluntary Greenhouse Gas Reductions. California management review: Novembro, 2004.

HOPWOOD, M.; MELLOR, M.; OBRIEN, G. Sustainable Development -Mapping Different Approaches. Sustainable Development: v. 13, n.1, p. 38-52, 2005.

IBGE - Instituto Brasileiro De Geografia E Estatística. Indicadores de Desenvolvimento Sustentável. Rio de Janeiro, p. 443, 2010.

MUNCK, L ; BANSI, A.C. ; GALLELI-DIAS, B. ; CELLA-DE-OLIVEIRA, F.A. Em busca da sustentabilidade organizacional: a proposição de um framework. Revista Alcance (Online): v. 20, p. 31-46, 2013.

MUNCK, L. Gestão da sustentabilidade nas organizações: um novo agir frente à lógica das competências. São Paulo: Cengage Learning, 2014.

NETO, P. N. Resíduos sólidos urbanos: perspectivas de gestão intermunicipal em regiões metropolitanas. São Paulo: Atlas, 2013.

OLIVEIRA, J. P. S. Análise comparativa da gestão de resíduos sólidos em municípios de pequeno porte: estudo de caso. (Dissertação de mestrado). Universidade Estadual Paulista, Bauru, SP, Brasil, 2017.

PRODANOV, C. C. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico [versão eletrônica]. Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

QUENTAL, N.; LOURENÇO, J. M.; SILVA, F. N. Sustainability: characteristics and scientific roots. Environ DevSustain: v. 13, p. 257–276, 2011.

SACHS, I. Desenvolvimento: includente, sustentável e sustentado. Rio de Janeiro: Gramond, 2008.

SAVITZ, A. W.; WEBER, W. K. Talent, Transformation, and the Triple Bottom Line. San Francisco: Jossey-Bass, 2013.

STEFANO, S. R.; TEIXEIRA, G. Desenvolvimento Sustentável nas Organizações: Programas do Banco do Brasil. Revista Competitividade e Sustentabilidade ComSus, v.1, p. 46-61, 2014.

VEIGA, T. B. Indicadores de sustentabilidade na gestão de resíduos sólidos urbanos e implicações para a saúde humana. (Doutorado em Enfermagem). Universidade de São Paulo: Ribeirão Preto, 2014.




AMBIÊNCIA

Alameda Élio Antonio Dalla Vechia, n. 838,
Bairro Vila Carli – CEDETEG
85040-167  Guarapuava-Paraná-Brasil
ISSN 1808-0251 (Print) - Ambiência ISSN 2175-9405 (Online)

        Logotipo do Crossref               

Periódicos Qualis - Plataforma Sucupira

Qualis B2 - Ensino

Qualis B3 - Interdisciplinar

Qualis B3 - Planejamento Urbano e Regional / Demografia

Qualis B2 - GEOGRAFIA

InfoBase Index - IBI Factor 2016 = 2,5


Large Visitor Globe     

                        Copyright © 2005-2019 Editora Unicentro
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.